Na avenida da minha vida, componho e compartilho a ferro e flores de todas as emoções, inquietações e explosões de uma jornada profunda, intensa e fascinante.
Seja Bem vindo!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Nesse dia eu vou te esquecer

Quando a praia se esquecer do mar
E o mar desistir das ondas
As ondas vão se acalmar
E aos poucos vão deixar a prancha
Nesse dia eu vou te esquecer
Quando a prancha esquecer dos pés
E os pés não deixarem pegadas
Pegadas não serão vestígios
De alguém que cruzou nossa estrada
Nesse dia eu vou te esquecer

Tá duvidando, é? cuidado

Que eu te esqueço e você cai do cavalo
Tá se achando é? aproveita
Que um dia eu te esqueço na gaveta
Que um dia eu te esqueço na gaveta

Quando a lua se esquecer do sol

O sol não der chance pra sombra
E a sombra deixar o coqueiro
Bem onde a rede balança
Nesse dia eu vou te esquecer

Quando a rede se esquecer da bola

A bola que o goleiro não alcança
O grito esquecer do gol
o gol parar bem na garganta
Esse dia eu vou te esquecer

Tá duvidando, é? cuidado

Que eu te esqueço e você cai do cavalo
Tá se achando é? aproveita
Que um dia eu te esqueço na gaveta
Que um dia eu te esqueço na gaveta

Link: http://www.vagalume.com.br/fernando-e-sorocaba/gaveta.html#ixzz2ysychXnS

Um comentário:

  1. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita.
    Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido também o seu blog. Minhas saudações.
    António Batalha.

    ResponderExcluir